terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Como conseguir uma Coluna Saudável.

A coluna vertebral, apesar de passar despercebida, precisa ser muito bem cuidada. Quem padece com suas dores sabe direitinho o que significa isso. Se ela pifar, você definitivamente não funciona. "A coluna vertebral  é a viga mestra do organismo, pois permite que fiquemos em pé. Nós só somos bípedes graças a ela", lembra José Goldenberg, clínico e reumatologista do Hospital Albert Einstein, autor do livro Coluna Ponto e Vírgula. Goldenberg possui um dado alarmante que resume muito bem o quanto maltratamos a nossa base de sustentação: 80% da população mundial teve, tem ou terá alguma dor lombar durante a vida.
O pior da história é que a dor só aparece quando o problema já está instalado há muito tempo, o que pode significar anos e anos de maus hábitos. A consequência são problemas na coluna e dores intermináveis. Nesse aspecto, parece que o sedentarismo moderno deu uma mãozinha na involução da espécie.
Homo erectus
A coluna foi projetada para sustentar o peso do corpo todo, para permitir que façamos movimentos imprescindíveis, como nos curvarmos ou nos virarmos e para mantermos a posição ereta. Como se isso não bastasse, é por dentro de suas estruturas ósseas que passa a medula espinhal, o gigante tronco nervoso do corpo, de onde partem os nervos que levam e trazem mensagens entre o cérebro e o restante do organismo. Imagine você que o comprimento da coluna vertebral representa cerca de 40% da sua altura. Os discos da coluna merecem uma menção honrosa. Localizados entre cada uma das vértebras, sua estrutura tem um núcleo gelatinoso (mistura de proteínas e água), que serve para amortecer o choque de um osso contra o outro. Quando ocorre algum problema com o disco intervertebral, os ossos pinçam o nervo e a pessoa sente dor.Um jeito de cuidar bem dos discos é dormindo direito. Isso porque, durante o dia, a água do disco fica sob pressão e faz uma migração de parte de seu conteúdo para o corpo da vértebra. Durante o sono, onde a pressão diminui e os músculos estão relaxados, o processo se inverte: a água migra do corpo da vértebra para o disco, fazendo o caminho de volta e promovendo a recuperação necessária. É por essas e outras que acordamos de manhã um pouco mais altos.


Dor nas costas


O mais importante é dizer aqui quais são as causas da dor que estão diretamente ligadas ao nosso comportamento e de que maneira podemos evitá-las. "As pessoas procuram descobrir as causas da dor e nunca encontram nada. Elas acordam com dores nas costas e não se dão conta do colchão inadequado que usam, reclamam de dores no pescoço e vertigens quando assistem TV deitadas na cama, mas não percebem a hiperflexão do pescoço nessa posição", afirma o quiropraxista australiano Jason Gilbert, em seu livro O Segredo da Coluna Saudável.
Para não ter dores no futuro, é preciso rever diversos hábitos no presente. Alguns deles não são tão óbvios nem parecem estar ligados à coluna - mas estão. O tabagismo é um exemplo. Os fumantes têm mais dores nas costas devido à inalação de substâncias tóxicas que prejudicam a circulação sanguínea no disco intervertebral. O excesso de peso também é um inimigo da coluna. O peso extra, quando concentrado na barriga, aumenta a sobrecarga nas costas. Por isso, médicos estimam que pessoas com sobrepeso de 10 kg ou mais têm 25% mais chance de sofrer com dores na coluna.
Praticar exercícios físicos, sempre com orientação profissional, também é uma maneira de evitar a flacidez dos músculos e, com isso, a instabilidade e fragilidade da coluna. Só tome muito cuidado com o tipo de exercício - estalar o pescoço, por exemplo, parece ser um hábito que coloca a coluna no lugar e é um perigo. Nunca faça isso em si mesmo, só permita que um profissional capacitado o faça. "Por favor, pare de estalar a coluna e o pescoço. Apesar de lhe dar um alívio por um curto período de tempo, você está prejudicando sua saúde e suas articulações muito mais do que você pensa", recomenda Jason Gilbert. "Quantos dos que estalam o pescoço sofrem de dores de cabeça, zumbidos ou vertigens?", completa.


Uma questão de postura


Porém, até onde se sabe, o melhor jeito de cuidar bem do seu eixo principal é prestando atenção na maneira como você senta, deita e se mexe. Existe uma postura mais acertada até mesmo para o simples ato de caminhar na rua: a cabeça alinhada aos ombros, relaxados, braços perto do corpo, cotovelos a 90 graus. E ainda tênis adequados, pés bem apoiados no chão, olhos firmes no horizonte.
Os alongamentos diários também são um ótimo hábito preventivo. Ao alongarmos, aumentamos o espaço entre as vértebras, na altura dos discos, evitando seu achatamento. O exercício trabalha a musculatura e a postura corporal na parte cervical (pescoço), coluna, membros e região pélvica (próximo à virilha), toráxica e lombar (onde terminam as costas). Há exercícios de alongamento que podem ser feitos em academias de ginástica ou ainda em aulas de ioga e Pilates - essas últimas atividades se preocupam especificamente com essa prática.

Livros
Coluna Ponto e Vírgula, José Goldenberg, ed. Atheneu.
O Segredo da Coluna Saudável, Jason Gilbert, Gaia.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Vícios de postura e carteiras inadequadas, tudo isso pode até prejudicar o aprendizado.



Adote posturas adequadas e incentive os seus familiares a amigos a adotá-las também. Principalmente, as crianças. Elas costumam se comportar no ambiente escolar da mesma forma que se comportam em casa.Sentar de qualquer jeito, com as costas encurvadas, ombros caídos, cabeça torta, isto é o que estamos presenciando no dia a dia no ambiente escolar. Cuidar da postura das crianças na escola não é uma tarefa fácil. Quem nunca falou para uma criança "senta direito!", "estica as costas !"? Muitas vezes essas frases tornam-se chatas por serem repetitivas, mas o esforço vale a pena, pois se desde a infância pudermos proteger nossas articulações poderemos evitar sérios problemas no futuro.Geralmente a postura está relacionada ao aspecto comportamental, estrutural e hereditário. Uma postura largada, desleixada é muito comum e  totalmente corrigível com orientações dos pais, mães e por professores em sala de aula, porém quando a criança tem uma alteração estrutural adquiridas e hereditárias como por exemplo uma escoliose (desvio lateral da coluna) entre outros problemas, devemos procurar profissionais da área da saúde para uma boa avaliação e conduta. Imagine boa parte do dia a criança ficando na postura sentada errada por longos períodos, mochilas pesadas, cadeiras e carteiras inadequadas isto com certeza vai afetar e tensionar todas a estrutura da coluna, sobrecarregando partes moles e duras como ligamentos, ossos e músculos. Talvez esteja aí a explicação para a queixa cada vez mais frequente entre a garotada se queixando de dor nas costas e desvios posturais. Embora até já existam carteiras ergonômicas, a maioria das escolas brasileiras não dispõe de móveis ajustáveis para acomodar desde o catatau até o grandalhão. Se a altura da criança não condiz com a faixa etária, a saída é fazer uma troca de cadeiras entre turmas diferentes. Quanta a maneira correta de sentar, a criança deve evitar escorregar na cadeira, o correto é sentar-se sobre os ísquios (ossinhos do bumbum), com as costas retas, bumbum próximo ao encosto e pés apoiados no chão. Quando há atividades no chão procure ficar na posição de índio, não deixe as crianças sentarem fazendo uma rotação interna do quadril e rotação interna de joelho (quando a perna, em relação ao quadril, se dirige para fora), isso prejudica as duas articulações (quadril e joelho), pois promove uma força resultante que pode danificar a cartilagem dos mesmos. O peso da mochila e material escolar deve ser equivalente a 10% do peso do corpo de quem está carregando. Procure utilizar as mochilas que tem rodinhas para puxar ou use colocando sobre um ombro e vá mudando sempre de lado, nunca use de um lado só. Se tiver armários na escola utilize-o. Esta é uma forma de reduzir o peso.
Lembrando que estas dicas devem ser usadas também no ambiente de casa.
Dr. Luiz Fernando Sola –  Fisioterapeuta responsável pelo Núcleo de Estudo da Postura e do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral do Instituto Krion.
http://www.institutokrion.com.br/

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Como tratar a dor na Coluna Vertebral.


Dores nas costas, torcicolos, inflamação nos nervos e músculos, lombalgia, protusão, problemas cervicais, lombares, hérnia de disco, espondilose, artrose. Pesquisas apontam que 80% da população apresentam ou apresentarão dor na coluna vertebral. A cada dia é desenvolvida uma infinidade de tratamentos que prometem solucionar ou, ao menos, amenizar o sofrimento dos pacientes, mas só depois de muita avaliação que os especialistas no assunto podem bater o martelo para a melhor terapia. Às vezes, opta-se pelo controle da dor por meio de medicamento, fisioterapia ou cirurgia - minimamente invasiva ou não. Porém, muitos concordam que em boa parte destes casos são tratáveis e a cirurgia é em último caso.
Hoje temos várias linhas de tratamento com fins terapêuticos, corretivos e preventivos.Terapias que trabalhem o corpo de forma global surgem nos últimos anos. Muito deles buscam tratar a causa da dor como o RPG (Reeducação Postural Global) que trabalha as desarmonias do corpo através de exercícios posturais, a Osteopatia, que são pequenos ajustes realizados no corpo através de mobilizações e manipulações para corrigir as disfunções articulares responsáveis pela dor, a Podoposturologia que é o estudo dos pés em relação a postura, onde o fisioterapeuta de acordo com análise da pisada, tipo de pé e postura, confecciona uma palmilha postural de tratamento para normalizar as alterações encontradas na coluna, e ainda a Acupuntura que busca um efeito terapêutico através do uso de agulhas em diversos pontos do corpo, além de outros métodos que trabalham os desequilíbrios corporais.
Em relação às atividades físicas voltada para coluna temos a Musculação direcionada, o Pilates que é um condicionamento físico e mental que trabalha a postura através de movimentos consciente e inteligentes. Para os casos mais graves e crônicos da coluna como as hérnias de disco, as protusões discais, onde a dor está presente a mais de 4 meses, existem mecanismos de tratamento como a tração computadorizada eletrônica, mesa de descompressão dinâmica que são aparelhos que buscam descomprimir os discos que provocam a dor na coluna e que pode irradiar para o glúteo e perna. Além disso há os exercícios específicos de estabilização, onde é utilizada um aparelho que facilita a execução e ativação dos músculos profundos da coluna, que são os grandes responsáveis por muita dores lombares e cervicais. Procure um profissional especializado e tire suas dúvidas para ver qual o tratamento mais indicado de acordo com seu problema.
Dr. Luiz Fernando Sola - Fisioterapeuta
http://www.institutokrion.com.br/



quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Dor Ciática.

O nervo ciático é o maior nervo do corpo humano. Ele tem início na região lombar e percorre todo o membro inferior, com alguns ramos sensitivos chegando até o dedão do pé . A dor ciática inicia-se na região lombar e segue para o membro inferior (quadril, coxa, joelho, panturrilha e peito ou sola do pé. Pode sentir dor, formigamento, queimação, calor ou frio e perda de força na perna.
Possiveis causas de dor ciática:
Hérnia de disco
Osteófito (bico de papagaio)
                           Stress –causa tensão nas costas comprimindo a raiz do nervo ciático
                                Listese (escorregamento da vértebra)
                      Contração excessiva do músculo piriforme (no glúteo), onde também pressiona o nervo.

Acesse, conheça e curta nossa Fan Page

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Você está com Preguicite?

Você já parou para pensar quantos horas, dias, semanas, meses você não levanta os braços acima da cabeça ? Portanto se não faz este movimento, você está diante de um quadro que chamamos “preguicite “. Isto acontece por que estamos cada vez mais limitados diante da correria do dia à dia. Já acordamos devendo hora, e isto vem acometendo muita gente neste século XXI. Perceba quando o gato acorda, primeira ato que realiza é espreguiçar o corpo. Isto porquê ele está preparando seus músculos e articulações para sua atividades que irá realizar como subir em árvore, caçar, etc.. Mas pergunto eu ? Ele está preocupado com inflação, dinheiro, trabalho etc.. Como sabemos a revolução tecnológica está cada crescendo cada vez mais, e os com equipamentos cada vez menores, carros automáticos, controle remoto para tudo, comidas enlatadas, tudo para oferecer mais conforto, mas será que isto é benéfico ? Pense bem, estamos cada vez mais limitados realizando micro movimentos., e as alterações no nosso corpo já estão aparecendo em forma de dor, mal alinhamento postural etc.Espreguiçar é o movimento natural que alonga toda a musculatura corporal e proporciona um dia mais estimulante. Apenas um minuto. Este é o tempo necessário para espreguiçar, alongar os músculos e começar bem o dia, antes de encarar as tarefas e desafios da rotina. Espreguiçar, em toda a plenitude do verbo, é importante para lubrificar as articulações, alongar os músculos e liberar as tensões da noite. Além disso, aumenta a flexibilidade e diminui a incidência de várias dores - principalmente as musculares. Como se não bastasse, espreguiçar libera o estresse e melhora o humor. 
Então vamos começar com o que temos de mais fácil e acessível e que não realizamos. Espreguice !!
Luiz Fernando Sola
Fisioterapeuta
http://www.boapostura.com.br/artigos_dicas/preguicite.html










quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Coluna Vertebral - O que ela diz sobre sobre você.


Quase todos nós conhecemos as dores e os desconfortos da coluna vertebral. O que poucos de nós sabemos são quais os aspectos emocionais se expressam ou se escondem nestes sintomas. Afinal, quais são as prováveis relações emocionais que acometem a coluna vertebral? A coluna vertebral relaciona-se com a estrutura da personalidade. É por assim dizer o eixo central do ego, que é a parte da personalidade que faz contato com o mundo externo. Problemas de coluna indicam desequilíbrios ou dificuldades na formação da personalidade ou conflitos no relacionamento com as pessoas ou com o mundo que nos cerca. A coluna trás em suas partes, determinados aspectos prováveis de relação mente e corpo relacionados a cada região. A região cervical relaciona-se à flexibilidade e amplitude de perspectivas. As duas primeiras vértebras relacionam-se mais com as dificuldades que temos na formação dos nossos conceitos e as duas últimas, a ressentimentos, e da mesma forma as primeiras torácicas.

Na altura da sétima cervical, em muitas pessoas ocorrem materializações relacionadas a ressentimentos, situações emocionais do passado mal resolvidas evidenciando saliências nesta área corpórea. Pessoas inflexíveis e de padrão de comportamento rígido tendem a calcificações na região cervical. A retificação da lordose anatômica cervical relaciona-se ao excesso de exigência sobre si mesmo e perfeccionismo. A hiperlordose cervical relaciona-se ao medo, sobretudo sustos na infância, tristeza e dificuldade de acreditar na própria felicidade. Algumas exceções acontecem em pessoas que querem ocultar o medo e “levantam o nariz”, como popularmente é referido para descrever a postura de arrogância. A escoliose cervical muitas vezes relaciona-se a uma tristeza do passado que “murcha” a pessoa, “caindo” a cabeça para um dos lados. As patologias da região cervical estão mais relacionadas à inflexibilidade e à tentativa de controlar tudo, ou de racionalizar tudo; no entanto, às vezes elas são conseqüentes a conflitos que relacionam-se a outras áreas, sobretudo da coluna dorsal. A região dorsal ou torácica relaciona-se à postura diante da vida, especialmente diante do emocional. Problemas na região dorsal indicam dificuldade de posicionamento, sobretudo diante das emoções. As calcificações na dorsal estão relacionadas a tristezas profundas. Os casos de hipercifose ( acentuação da cifose) evidenciam um esconder-se do mundo, um encolher-se diante dos fatos que não sabemos como administrar. Já os casos de retificação (perda da curvatura anatômica) relacionam-se a um excesso de exigência sobre si mesmo.


A escoliose (curvatura lateral) da região dorsal em muitos casos relaciona-se ao “encurvar-se” diante de fatos que “não sei como”, ou “não posso mudar”, ou “sou forçado a aceitar”. É muito comum acontecer na adolescência, porque o jovem não sabe como se portar. Não é mais criança, nem adulto. Para algumas coisas, os pais e a sociedade o tratam como adulto; para outras, como criança, e isso gera uma confusão muito difícil de esclarecer. As pessoas “retas”, retificadas nesta região, sofrem muito com a necessidade de ostentar o que não são. Já os hipercifóticos em geral são tristes e assumiram que a vida é triste mesmo, e nada se pode fazer para mudar. As patologias da região dorsal, em geral, relacionam-se à tristeza, por a pessoa não viver as emoções de forma equilibrada, especialmente nos casos de hipercifose. Os casos de retificação relacionam-se mais ao perfeccionismo. Ocorrem em geral nas pessoas que foram muito cobradas e que acabaram se cobrando muito, especialmente a perfeição. A região lombar está relacionada ao “ter” na vida. Problemas na lombar relacionam-se em geral a perdas, ou medo de perdas, ou de não conquistar, tanto no aspecto material, quanto emocional. A hiperlordose lombar, muitas vezes relaciona-se aos aspectos acima referidos, e em alguns casos relaciona-se à repressão sexual. É uma tentativa de “esconder” o sexo, que acontece sobretudo nas mulheres. A famosa “bundinha arrebitada” em muitos casos esconde uma repressão sexual e uma necessidade de ser dominada, ou ainda uma supervalorização da estética diante das emoções. A retificação lombar também pode ocorrer pelos motivos citados acima, e pelo perfeccionismo. Já a escoliose lombar pode relacionar-se à rejeição intra-uterina, por patologia congênita óssea, o que às vezes também acontece na sétima cervical. Algumas pessoas que sofreram rejeição, especialmente de sexo, apresentam estas patologias congênitas nesta região. As patologias da região lombar geralmente relacionam-se a medos, ou à situação de muita cobrança, interna e externa, relacionadas a questões com conotações emocionais.

A região sacral está relacionada à sexualidade. Problemas na região sacral relacionam-se a conflitos relacionados a sexualidade, sobretudo traumas e repressão. Nos casos de meninas que são esperadas meninos, é muito comum encontrarmos uma materialização sobre o sacro e dores na região. Estas mulheres, em geral, apresentam dificuldade nos relacionamentos íntimos, dificuldade de engravidar, cólicas menstruais, suscetibilidades a problemas no aparelho reprodutor (útero, ovários, seios etc.) frigidez e tendência homossexual conflitiva. (Condição sexual homossexual que só acontece porque a pessoa não se permite ter o que quer, no caso uma relação heterossexual).
Homens com esse tipo de conflito materializam menos sobre o sacro, mas também manifestam problemas com a sexualidade, tanto com os relacionamentos, como no que diz respeito à suscetibilidade a problemas no aparelho reprodutor, inclusive em muitos casos sendo estéreis e tendo tendência homossexual conflitiva. É muito importante destacar que as dores do isquiático (ciático) também estão relacionadas aos problemas de coluna da região lombar e sacral. Correspondem aos medos de seguir em frente, inseguranças diversas e dificuldade de adaptação as situações de vida, especialmente aquelas que requerem mudança de comportamento ou que transformam nossa rotina.
Não são apenas os problemas de coluna, mas todas as articulações relacionam-se à nossa capacidade de nos “articular” na vida, ou seja, capacidade de relacionamento político. Problemas nas articulações relacionam-se à rigidez e à dificuldade de superar situações difíceis. Incluem-se nesse contexto todas as “ites” que afetam as articulações e que estão relacionadas a situações desagradáveis a que a pessoa se submete mesmo não gostando, por não saber como resolver.
Quando nos referimos a “articular-se” na vida, estamos enfocando nossa capacidade de relacionarmo-nos equilibradamente sem machucar o outro nem nos deixarmos machucar, respeitando os limites de cada um, inclusive os próprios. Viver é relacionar-se de forma equilibrada; do contrário, é muito difícil termos uma perspectiva feliz e saudável. Portanto, a forma como nos relacionamos é fundamental para o nosso equilíbrio. Essa maneira equilibrada de viver constrói-se a partir da espiritualidade e do amor, que sempre deve começar pelo amor por si mesmo. O equilíbrio sempre parte do respeito mútuo entre as pessoas, o que em nossas relações é fundamental. A capacidade de se “articular” é muito importante para o êxito ser alcançado, tanto no trabalho, quanto nas relações mais próximas, e consiste na flexibilidade e maleabilidade que precisamos ter para não desrespeitarmos os outros e nem a nós mesmos. Para ser infeliz e desamado, ninguém nasce. Se, nascemos dentro de uma perspectiva negativa, é porque temos a esperança de reversão. A vida é incompatível com a tristeza e a falta de amor. Portanto, “articular-se” é relacionar-se dentro da interdependência saudável que rege o universo com respeito pelo outro e por si mesmo, sem toda a rigidez que se relaciona à maioria dos problemas articulares. Desculpem a repetição, mas no que se refere ao inconsciente, que assimila bem o que for repetido, esta repetição é produtiva: precisamos melhorar nossas relações, para que possamos mudar o mundo.


Ivan PintoTerapeuta HolísticoDiretor do centro Holístico Idhera

Você se preocupa como seu filho anda ?

Uma má pisada se não for corrigida durante a infância e na fase de crescimento, pode comprometer todo o alinhamento postural e estrutural do corpo. Com o tempo estes desvios de origem podal além de afetar o pé, podem envolver estruturas ascendentescomo a coluna vertebral, joelho e quadril. Uma boa intervenção terapêutica preventiva e corretiva deve diminuir esta probabilidade de se pisar errado. Algumas precauções, combinadas com estímulos adequados, ajudarão a prevenir problemas futuros na coluna de sua criança. Composta por 24 ossinhos móveis empilhados uns sobre os outros, e movimentados por um conjunto de músculos, a coluna é a viga mestra na delicada edificação do corpo humano. É ela que nos sustenta em posição ereta e propicia a mobilidade do tronco. Também funciona como uma casca protetora para a medula espinhal – as estruturas nervosas que levam e trazem informações de todo o corpo para o cérebro. Com papel tão importante a desempenhar, é uma parte do corpo da qual não se deve descuidar um minuto. Toda má pisada deve ser corrigida precocemente para não afetar estas regiões, principalmente as que tem origem nos pés. Dentro da 
Posturologia e Podopostutologia que é uma especialidade onde o fisioterapeuta estuda os pés em relação a postura corporal, pode se chegar a causa de muitos problemas crônicos oriundos de uma má pisada. Intervir então, precocemente tratando as causas de origem podal, pode resolver vários problemas. Um bom check- up da estrutura corporal, uma avaliação postural e um teste da pisada chamada Baropodometria, determinam e direcionam qual a melhor conduta terapêutica. Muitos realizam este exame de forma preventiva para verificar se existe uma probabilidade de apresentar problemas no futuro. Geralmente os tratamentos mais indicados dependem desta avaliação. As Palmilhas Posturais que realizam uma reprogramação global ,quando a origem do problema vem dos pés, o são as mais indicadas. Mas em alguns há a necessidade de associar alguma técnica ou método postural.

Dr. Luiz Fernando Sola
Fisioterapeuta
Posturologia / Podoposturologia / RPG / Pilates /
Osteopatia / GDS / Terapia Crânio Sacral /
Mulligan / Terapia Manual


terça-feira, 11 de setembro de 2012

OSTEOPATIA A CURA PELAS MÃOS
A Osteopatia é uma terapia manual e um sistema de avaliação, com os seus próprios princípios subjacentes. Permite detectar e tratar áreas do nosso corpo que estão afetadas em em disfunção. Com as mãos o Osteopata restabelece a natural capacidade de cura do organismo e a volta do funcionalidade normal. Em última instância, restaura o equilíbrio global articular, visceral, muscular, craniano, neural ente outras.
Um dos seus princípios básicos centra-se no facto de que boa parte da dor e disfunção que sofremos, tem origem em alterações da estrutura e função do nosso organismo. Através de uma vasta gama de técnicas de manipulação manuais, a Osteopatia age sobre a estrutura do corpo, particularmente músculos, ligamentos, nervos, articulações e órgãos. Tal como uma máquina, o nosso corpo necessita de equilíbrio para ser eficiente, disponibilizando mais energia para saborear a vida. Osteopatia é uma medicina não convencional, que usa técnicas manuais para diagnosticar e tratar uma grande variedade de problemas de saúde, principalmente na coluna vertebral.
Os maiores problemas incidem normalmente na coluna vertebral, onde o osteopata tem um papel muito importante, uma vez que é o único especialista que consegue, através das mãos e sem cirurgia, recolocar as vértebras na sua posição anatômica.
 O osteopata utiliza as mãos para perceber os movimentos e tensões do corpo, através de várias técnicas manuais suaves e não invasivas.
Isso significa que pessoas de todas as idades podem consultar um osteopata, desde o recém-nascido ao idoso.

 Quando se deve consultar um osteopata?
Durante a gravidez e depois do parto, ainda que tenha decorrido sem problemas
Depois do nascimento e durante a infância, no decorrer de mudanças importantes na vida da criança ou quando manifesta através do comportamento dificuldades de adaptação não habituais nela.
Depois de um importante traumatismo, ainda que não tenha nenhuma ferida aparente (quedas, acidentes de carro, etc.)
Depois de uma intervenção cirúrgica ou médica traumatizante (tratamentos dentais, extracções dificeis, etc.)
Antes da colocação de um aparelho dental, durante todo o tratamento e depois da retirada do aparelho
Durante ou depois de um período particularmente stressante ou de esgotamento físico e/ou intelectual ou de um período emocional difícil.
Depois de qualquer doença aguda que tenha requerido a toma de medicamentos. De forma geral, as pessoas apresentam importantes desequilíbrios do organismo nos planos locomotor, hepático e digestivo. Por exemplo, os antibióticos algumas vezes indispensáveis alteram o sistema digestivo e o fígado.
Quando o individuo sente a necessidade ou o desejo de tratar-se. O corpo, se já recebeu cuidados osteopáticos, será mais sensível ao tratamento que lhe permitirá reencontrar o equilíbrio.

    Problemas que podem ser tratados com a Osteopatia ?
      Dores na Coluna
      Dores Lombares                                                          
      Hérnias Discais
      Artrose na Coluna Vertebral
      Cervicalgias
      Ciática
      Torcicolos
      Lesões Desportivas
      Dores de cabeça
      Stress
      Irritabilidade
      Dores nas articulações
      Dores Musculares
      Dormências
      Deficiências Circulatórias
      Tendinites
      Subluxação Vertebral
      Contraturas
      Tensão Muscular


terça-feira, 4 de setembro de 2012

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

INSTITUTO DE TRATAMENTO DA COLUNA VERTEBRAL

ITC Vertebral de Sorocaba vem aplicando um método pioneiro no Brasil chamado RMA que trata problemas crõnicos de coluna através de Mesa de Tração Computadorizada e Mesa de Descompressão Dinâmica.
O ITC Vertebral em parceria com empresa Chatanooga Group - localizada no Tenesse USA trouxe a mais nova tecnologia de tração computadorizada e de descompressão dinâmica para tratar as doenças da coluna que incomoda 80% das pessoas em todo o mundo.

Sorocaba - Doenças da coluna vertebral, hérnia de disco, protrusão de disco, lombalgia ( dor lombar) , dores nas costas, dor ciática, cervicalgia (dor cervical), espondilolistese, espondilolise, artrose. Estes são alguns dos males que atingem um grande percentual da população mundial. A cada dia, médicos, fisioterapeutas e pesquisadores desenvolvem uma infinidade de tratamentos que prometem solucionar ou, ao menos, amenizar o sofrimento dos pacientes.
Reconhecido em Sorocaba e região por oferecer métodos e técnicas corporais e posturais, o Instituto Krion em parceria com o ITC Vertebral (www.itcvertebral.com.br), vem aplicando na Unidade II Campolim, um programa pioneiro no Brasil chamado RMA - Reconstrução Muscular Articular da Coluna Vertebral.

Esta metodologia de tratamento foi trazida para o Brasil pelo ITC Vertebral, a partir da associação com os métodos do Dr. Cox e as novas tecnologias das mesas. A partir daí foi criado o programa RMA da Coluna Vertebral, que utiliza técnicas da Terapia Manual, Mesa de Tração Computadorizada, Mesa de Descompressão Dinâmica, Estabilização Segmentar Vertebral e Exercícios específicos personalizados.
Este programa de tratamento desenvolvido em Fortaleza (CE) vem atendendo pacientes de todo país e do exterior, e hoje está presente nas principais cidades e capitais do Brasil.


Conheça nosso programa de tratamento em Sorocaba SP.
Agende sua avaliação Tel. (15) 3418.4181 ou (15) 3212.4700

Acesse: http://www.itcvertebral.com.br/
               http://www.institutokrion.com.br/
 


.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Tração Computadorizada - Coluna sem dor

Mesa de Tração Computadorizada e Descompressão Dinâmica da Coluna Vertebral
Os números preocupam especialistas. Ocasionadas por herança genética, estresse, sedentarismo ou excesso de exercícios, má postura no trabalho, as dores na coluna têm acometido cada vez mais pessoas. Novos tratamentos surgem, conservadores e indicações cirúrgicas, mas muitas vezes as alterações na coluna vertebral são de origem mecânicas e necessitam de um tratamento mais intensivo e preciso. Pesquisas realizadas nos EUA mostram que técnicas de tração e descompressão dinâmica vêm sendo usadas com sucesso, durante anos, no tratamento das discopatias e nas doenças degenerativas da coluna vertebral. Grandes fabricantes de equipamentos terapêuticos e cientistas americanos, investiram seriamente em pesquisas durante décadas enquanto aprimoravam técnicas seguras e eficazes de utilizar a tração e descompressão vertebral e os seus benefícios. Hoje no mercado norte americano e no Brasil estão sendo utilizadas como tratamento da coluna, os equipamentos de última geração chamados TRITON DTS, que realiza a tração computadorizada da coluna lombar e cervical, e a ERGOSTYLE ELEVATION que enfatiza a descompressão dinâmica da coluna vertebral.
A TRITON DTS é uma mesa de tração que possui um mecanismo de deslizamento com molas que controlam o atrito do paciente sobre a mesa e garante progressão segura, suave, confortável e precisa nos processos de aplicação e retirada de carga de tração. Os ajustes de tempo, carga e tipo de tração (intermitente ou estática) e outras características do processo de tração são programados pelo fisioterapeuta e dependem de cada paciente e da patologia à ser tratada. Por isso esse equipamento possui uma unidade de tração automática, computadorizada que promove uma força descompressiva no eixo axial da coluna vertebral do paciente.
A ERGOSTYLE ELEVATION é um equipamento de descompressão dinâmica da coluna vertebral. Possibilita que o fisioterapeuta tenha total controle sobre a mobilidade da coluna vertebral do paciente, permitindo movimentos de flexão, extensão, látero-flexão e rotação. Desta forma, o tratamento pode ser realizado de uma forma mais confortável, conseqüentemente mais precisa.
A união destes aparelhos como tratamento das hérnias de disco e nas dores crônicas, são aplicados até que as dores estejam controladas, permitindo assim que o fisioterapeuta possa empregar outras técnicas de fortalecimento, estabilização e postura, devolvendo assim o bem estar e saúde do paciente.
O primeiro passo para quem busca colocar a coluna em ordem é fazer uma boa avaliação médica e identificar o problema e as causas da dor. Com o quadro definido o tratamento é indicado para qualquer idade.
Conheça estes tratamentos, informações e locais de atendimento.
Dr. Luiz Fernando Sola
                                 Fisioterapeuta
                                     Podoposturologia/Posturologia/Osteopatia/Terapia Crânio Sacral
                                          http://www.institutokrion.com.br/


terça-feira, 5 de junho de 2012

Dor Ciática, já ouviu falar ?


A ciatalgia ou dor ciática, é uma dor provocada pela irritação de uma ou mais raízes nervosas da coluna lombar, sendo que a dor irradia-se para o membro inferior (podendo ser uni ou bi-lateral), geralmente o trajeto da dor é bem definida. O nervo ciático, inerva as articulações do quadril, joelho e parte do tornozelo, também faz inervação dos músculos posteriores da coxa, da panturrilha e de parte do pé. Pelo tipo de dor e pela zona de dor irradiada, podemos determinar quais raízes nervosas estão afetadas. Aproximadamente 80% da população possui dor lombar durante a fase adulta, sendo 1% desses apresentando ciatalgia. As chances de serem atingidos por dor lombar entre homem e mulheres são as mesmas. Muitas são as causas, sendo as mais comuns: disfunções mecânicas (por esforço excessivo); disfunções posturais; traumatismos; protusão ou hérnia discal (lesão no disco intervertebral), osteófitos (calcificações): "bico de papagaio" (as 3 citadas anteriormente, são as causas mais comuns e podem também levar a compressão de estruturas nervosas região lombar); processos degenerativos (osteoartrose, etc.); instabilidade vertebral; infecções; tumores; diabetes; hipertireoidismo; neurológicas e psiquiátricas; dores referidas viscerais (ovários, útero, próstata, intestino e doenças circulatórias); síndrome do piriforme (músculo região pélvica em espasmo). É importante procurar profissional especializado, sendo um bom clínico, para realizar um diagnóstico específico e o tratamento deve ser feito de acordo com as causas da dor. O tratamento medicamentoso com orientação médica é muito importante, juntamente com o tratamento por meio da fisioterapia. Em alguns casos é importante um tratamento multi-disciplinar (médico, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, profissional de educação física). Nos casos em que a intervenção fisioterapêutica não é realizada ou foi inadequada, a perpetuação do quadro álgico persistirá levando então a uma cronicidade da sintomatologia. As técnicas de manipulação vertebral vêem sendo utilizada por fisioterapeutas, osteopatas e quiropatas em pacientes com quadro de lombalgia crônica. Através desta técnica, o movimento artrocinemático restrito é refeito, a função muscular é normalizada e o quadro álgico (de dor) é diminuído, contribuindo desta forma para a desaceleração do processo degenerativo.


quinta-feira, 31 de maio de 2012

OS BENEFÍCIOS DO PILATES PARA SUA COLUNA

O Pilates foi criado pelo alemão Joseph Pilates no começo do século passado. 

Baseado no movimento dos animais e de crianças durante suas brincadeiras, Pilates criou uma série de exercícios com o objetivo de melhorar a própria saúde, pois sofreu de raquitismo e asma na infância, chegando à idade adulta com um corpo franzino. Aos 32 anos, depois de adotar o método em si mesmo, passou a exibir um corpo de fazer inveja aos atletas mais bem treinados e a disseminar a prática entre amigos e conhecidos. A técnica envolve o fortalecimento da musculatura do abdome, que ele chamava de power house (ou casa de força, na tradução do inglês). 





A definição dos músculos, principalmente do abdome, a melhora na postura e o aumento da flexibilidade são alguns dos benefícios propagados pelos praticantes e indicados pelos médicos, principalmente aos que têm problemas de coluna. Com o fortalecimento da musculatura do abdome há a possibilidade de diminuir o número de crises de hérnia, dependendo do local da lesão. Já a reeducação postural ajuda a recuperar centímetros que já tinha e estavam escondidos sob uma postura curva. 

Diferente da musculação, os exercícios do pilates fortalecem, mas não fazem os músculos crescer tanto quanto a musculação. O pilates trabalha mais com a repetição de movimentos e menos com o aumento das cargas. Além disso, as molas usadas nos aparelhos oferecem um tipo de exercício diferente dos executados na musculação. Outra diferença é que os exercícios de pilates feitos no chão trabalham vários grupos musculares ao mesmo tempo, enquanto na musculação cada exercício estimula, normalmente, um músculo por vez.

E se você sofre de dores na coluna e deseja praticar pilates, procure profissionais graduados com formação em pilates  Um trabalho especializado e individualizado vai levar ao bem estar de sua coluna vertebral.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

DOR NAS COSTAS: CRIANÇAS E JOVENS TAMBÉM SOFREM


Elas são jovens e cheias de energia, mas não é difícil vê-las se queixando de dores nas costas. As crianças e os jovens também são vítimas desse mal que atinge parte da população mundial. Mas, o que fazer para que elas cresçam sem problemas? Grande numero de atividades, peso excessivo das mochilas, longos períodos em frente à TV e uso intenso do computador e videogame e são algumas das causas dessas dores, além da ergonomia escolar inadequada, que leva os alunos em fase de crescimento e desenvolvimento a apresentar alterações posturais após alguns anos de ida à escola. As mochilas dos estudantes, por exemplo, têm peso superior ao recomendado para o seu corpo, podendo levar os estudantes a ter sequelas severas em sua saúde, incluindo dores na coluna, alterações na marcha e má postura. Por isso, cerca de 80% das crianças entre 8 a 10 anos já apresentam dores nas costas. Hoje em dia é comum notarmos crianças que apresentam alterações posturais, e que podem ser responsáveis pela diminuição do interesse do estudante pelas atividades propostas em sala de aula. Os padrões posturais assumidos em sala de aula são muito importantes. Estudos demonstram que a maioria das crianças senta na maior parte do tempo com o tronco flexionado, utilizam a mão sobre o queixo durante as atividades na carteira escolar na tentativa de aliviar o peso da cabeça e a maioria apresenta queixas na região do pescoço e da cabeça.
Corpo em formação
Pelo fato de serem crianças, e não adultos, o esqueleto está em fase de formação, sendo mais susceptível a deformações e as estruturas músculoesqueléticas, apresentam menor suportabilidade à carga. O excesso de peso é um fator causador da lordose lombar, pois altera a linha do quadril em função do abdômen proeminente. Hábitos posturais incorretos adotados desde o ensino fundamental são motivos de preocupação.
A postura adequada na infância ou a correção precoce de desvios posturais nessa fase possibilitam padrões corretos na vida adulta, pois esse período é da maior importância para o desenvolvimento músculoesquelético do indivíduo com maior probabilidade de prevenção e tratamento dessas alterações na coluna vertebral. Assim, problemas físicos que podem acometer crianças e adolescentes e que têm início na fase de crescimento constituem fator de risco para disfunções da coluna vertebral irreversíveis na fase adulta. A idade escolar compreende a fase ideal para recuperar disfunções da coluna de maneira eficaz. Após esse período, o prognóstico torna-se mais difícil e o tratamento mais prolongado, pois a ossatura e a musculatura já estão formadas.
Tratamento com fisioterapia
Hoje em dia, a prevenção é uma área de grande crescimento na saúde e a fisioterapia preventiva transformou-se em um dos grandes diferenciais na escola. O fisioterapeuta tem um papel fundamental no diagnóstico e tratamento de distúrbios do desenvolvimento, avaliando e identificando qualquer alteração no quadro neuropsicomotor. A intervenção desse profissional visa estabelecer e/ou restabelecer a funcionalidade do movimento, trabalhando no sentido de ensinar à criança posturas e movimentos funcionais, principalmente através da promoção de experiências motoras adequadas. A fisioterapia preventiva escolar ainda representa um campo novo, mas de grande importância no processo do desenvolvimento da criança e do adolescente.

Fonte: Vya Estelar

E você, possui filhos, sobrinhos e irmãos que sofrem de dor nas costas? Confira o tratamento do ITC Vertebral: http://bit.ly/cidades_itcvertebral

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A influência da sua pisada pode interferir na sua coluna e postura.


Você sabe como pisa e anda e qual é o seu tipo de pé ?

Qual o critério que você usa para se prevenir ou tratar de um problema de coluna, joelho, quadril e pé. Como saber qual a melhor conduta ? Como você faz para comprar o seu tênis para uma prática esportiva ou lazer ? É o mais bonito? O mais barato? O mais macio?
Independente de qual critério anteriormente descrito está na hora de saber qual o seu tipo de pisada. Apesar de serem tão pouco lembrados, os pés são os principais órgãos de sustentação e equilíbrio do nosso corpo. Quando apresentam algum tipo de deformidade ou “pisam” sobre o solo de maneira errada, podem causar problemas posturais que afetam as articulações ocasionando desvios e dores das mais variadas intensidades. Para você identificar como está sua pisada existe um aparelho chamado Baropodometria Computadorizada, que mensura e quantifica os picos de maiores pressões que seu pé exerce sobre o solo,  determina qual é o tipo de pé, pisada identifica como está o seu equilíbrio corporal e postural. De acordo com o fisioterapeuta Luiz Fernando Sola especialista em Posturologia e Podoposturologia, especialidade que estuda as alterações dos pés e suas repercussões   sobre o nosso corpo, este exame dá suporte para solucionar vários causas de patologias, cuja causa principal é um desequilíbrio na maneira de se pisar. Através desta análise que é realizada parado e andando sobre uma plataforma com vários sensores, conseguimos quantificar os picos de maiores pressões dos pés em relação ao joelho, quadril e coluna, determinando qual a região do seu corpo que está em sobrecarga e sofrimento. Com os resultados podemos intervir precocemente, tratando ou prevenindo os problemas que vão, desde simples bolhas  unhas encravadas, até joanetes, tendinites e artrose no joelho,  dores de coluna crônica, desvios posturais, desgastes nas articulações e inflamações na planta dos pés como fascites e esporão, pé chato e pé cavo entre outras patologias. Sola explica que este exame é realizado de preferência junto com uma avaliação postural para determinar qual  atuação preventiva e terapêutica a ser definida. Quando há alterações identificadas neste processo e avaliação, em alguns casos há à necessidade de se trabalhar a Reeducação Postural Global através do uso de Palmilhas Posturais, uma metodologia francesa de tratamento. Estas palmilhas que não são as ortopédicas, são confeccionadas por fisioterapeutas através do resultado do exame da Baropodometria. Elas são personalizadas e feitas de acordo com o seu tipo de pé, pisada e postura, distribuem adequadamente as cargas e pressões exercidas nos pés, devolve um maior equilíbrio muscular e uma melhor estabilidade articular em todos os segmentos do pé joelho, quadril e coluna, buscando uma melhor performance em atividade físicas, caminhada e corrida. Portanto fique atento a maneira como você pisa e anda. Uma nova pisada para você, pode proporcionar um novo movimento para sua vida.


Acesse o nosso site: www.institutokrion.com.br
Onde encontrar: Instituto Krion -  Rua Mário Campolim 627 – Bairro Campolim 
Tel. (15 ) 3212.4700 ou (15) 3418.4181

domingo, 15 de abril de 2012

Postura na sala de aula; especialista alerta pais

Durante o período escolar, os alunos devem estar atentos à postura. Sentar de qualquer jeito, com as costas curvadas, ombros caídos, cabeça torta, isto é o que estamos presenciando no dia a dia no ambiente escolar, garante o fisioterapeuta Luiz Fernando Sola. 


“Cuidar da postura das crianças na escola não é uma tarefa fácil. Quem nunca falou para uma criança ‘senta direito!’, ‘estica as costas !’? Muitas vezes essas frases tornam-se chatas por serem repetitivas, mas o esforço vale a pena, pois se desde a infância pudermos proteger nossas articulações poderemos evitar sérios problemas no futuro”, diz. 
De acordo com ele, geralmente a postura está relacionada ao aspecto comportamental, estrutural e hereditário. Uma postura largada, desleixada é muito comum e  totalmente corrigível com orientações dos pais, mães e por professores em sala de aula, porém quando a criança tem uma alteração estrutural adquiridas e hereditárias como por exemplo uma escolio-se (desvio lateral da coluna) entre outros problemas, devemos procurar profissionais da área da saúde para uma boa avaliação e conduta.
“Imagine boa parte do dia a criança ficar sentada na postura errada por longos períodos, mochilas pesadas, cadeiras e carteiras inadequadas isto com certeza vai afetar e tensionar todas a estrutura da coluna, sobrecarregando partes moles e duras como ligamentos, ossos e músculos. Talvez esteja aí a explicação para a queixa cada vez mais frequente entre a garotada se queixando de dor nas costas e desvios posturais”, comenta. Segundo ele, embora até já existam carteiras ergonômicas, a maioria das escolas brasileiras não dispõe de móveis ajustáveis para acomodar desde o catatau até o grandalhão. “Se a altura da criança não condiz com a faixa etária, a saída é fazer uma troca de cadeiras entre turmas diferentes”, ele afirma. 

Quanto à maneira correta de sentar, Sola afirma que a criança deve evitar escorregar na cadeira, o correto é sentar-se sobre os ísquios (ossinhos do bumbum), com as costas retas, bumbum próximo ao encosto e pés apoiados no chão. “Quando há atividades no chão procure ficar na posição de índio, não deixe as crianças sentarem fazendo uma rotação interna do quadril e rotação interna de joelho (quando a perna, em relação ao quadril, se dirige para fora), isso prejudica as duas articulações (quadril e joelho), pois promove uma força resultante que pode danificar a cartilagem dos mesmos”, diz. 

Ele alerta que o peso da mochila e material escolar deve ser equivalente a 10% do peso do corpo de quem está carregando. “Procure utilizar as mochilas que têm rodinhas para puxar ou use colocando sobre um ombro e vá mudando sempre de lado, nunca use de um lado só. Se tiver armários na escola utilize-o. Esta é uma forma de reduzir o peso”.
Cida Haddad  - Fonte Jornal Ipanema - 14 de ABRIL 2012.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Método POLD
Criado em 1990, por Juan López Diaz, o POLD baseia-se na aplicação de mobilização passiva oscilatória em uma freqüência de ressonância sobre a coluna vertebral, tecidos moles, neurofisiológicos e neuromecânicos, que provocaram um estado de plasticidade somática em todo o corpo, facilitando a liberação de estruturas articulares, tecidos moles e diminuição da dor. 

Aplicações
Ao utilizar Pulsação Oscilatória de Longa Duração ( POLD), provoca-se uma plasticidade somática em todo o corpo, e através de manipulações específicas para cada estrutura, pode-se tratar de forma eficiente as hérnias e protrusões discais, radiculopatias, escolioses, degenerações e limitações articulares, lesões musculares devido a sobrecarga, aderências faciais e alterações nas cadeias musculares. Este sistema tem se mostrado eficiente no tratamento das patologias dolorosas com alteração fisiológica e de mobilidade articular.


Onde encontrar: www.institutokrion.com.br