quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Hipervigilância à dor: um inimigo oculto para a coluna

Você tem aquela dor lombar que persiste? Elas incidem em cerca de 80% da população em algum momento da vida. Muitos evoluem para a melhora em semanas e outros têm a chamada dor crônica.
Com dores persistentes, os pacientes ficam mais  susceptíveis a ficar “escaneando” o tempo todo o corpo com o objetivo de adotar posturas  e sensações que julgam não ser  ameaçadoras para a piora do quadro de dor. Porém, este excesso faz com que o corpo fique ligado (hipervigilante)  trazendo com o tempo uma série de complicações para a funcionalidade dos movimentos como abaixar, deitar, levantar da cadeira, subir escadas, caminhar; os músculos responsáveis pelo sustentação e movimento se tornam rígidos e hipersensíveis.
O paciente fica no ciclo vicioso, achando que se alguém mexer ou se ele realizar o movimento vai piorar o quadro de dor, pelo contrário a intervenção precoce de tratamento é a chave do sucesso para melhora. É importante os pacientes passarem por uma criteriosa avaliação para classificar o problema e  que seja determinada qual a melhor estratégia de tratamento, baseado na estratégia do controle do  movimento associada à devolução da auto confiança. Este modelo aborda estratégias de respiração, relaxamento, controle do movimento, exercícios  estratégicos e terapia manual.

Luiz Fernando Sola é fisioterapeuta responsável pelo ITC Vertebral Sorocaba e do Núcleo de Estudo da Postura e Pé do Instituto Krion.

www.institutokrion.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário