terça-feira, 7 de julho de 2009

Cirurgia Plástica X Postura


Logo após o período destinado ao pós-operatório, as mulheres que implantaram próteses mamárias de silicone, principalmente as com mais de 300 ml, ou aquelas que submeteram a abdominoplastia (plástica abdominal) deveriam reeducar a postura corporal. "O desconforto inicial causado pelo sobrepeso, pela intervenção cirúrgica e pelas cicatrizes induzem a uma autoproteção corporal normal após a cirurgia. Esta proteção poderá ocasionar descompensações do equilíbrio postural, que no futuro, ou logo após o pós-operatório, poderão desencadear cervicalgias tensionais (dores na cervical e no pescoço) e lombalgias (dor na região lombar)
  crônicas se não forem tratadas", adverte Luiz Fernando Sola, fisioterapeuta, especialista em RPG (Reeducação Postural Global), Pilates, Terapia Manual, Osteopatia e GDS (Cadeias Articulares-Musculares) do Instituto Krion em Sorocaba. Segundo o especialista, a quantidade de mulheres que tem procurado as clínicas de postura no Brasil aumentou sensivelmente de um ano para cá. "A maioria das pacientes que atendo nesses casos procuram ajuda pela dificuldade de encontrar uma boa postura logo após o pós-cirúrgico da mamoplastia ou abdominoplastia". A principal queixa é em relação às dores nas costas e no pescoço, que começam a incomodar bastante depois de alguns meses, quando a euforia pelos resultados e os incômodos do pós-operatório já passaram. "Indiscutivelmente, as próteses de silicone nas mamas e a cirurgia abdominal, ao mesmo tempo que melhoram a estética postural e a auto-estima, também podem prejudicá-las se não houver um trabalho de orientação de um especialista", diz Sola. Para o corpo trata-se de uma mudança brusca. "De um dia para o outro você está com uma prótese e uma nova silhueta, o que muda a forma e a aparência, havendo a necessidade de uma adaptação rápida para essa nova postura que, às vezes, por falta de orientação, leva a pequenas alterações estruturais no corpo que não são visíveis, mas que devem rapidamente ser corrigidas e reeducadas", explica. As alterações não têm origem somente no aspecto físico. Aspectos psicológicos acabam também afetando a postura. "Muitas mulheres não têm coragem de assumir a nova silhueta ou não se adaptaram a ela, e adotam uma nova atitude supostamente capaz de camuflar a nova postura com as mamas", conta o profissional. Normalmente, elas curvam os ombros para frente, o que cria a ilusão de seios menores. "Além do sobrepeso proveniente do implante, essa postura só agrava a situação", completa.
Outra queixa relativamente comum é que depois da plástica uma mama ficou maior que a outra. "Na maioria das vezes, o problema não tem origem nas dimensões da prótese, mas em um desvio lateral da coluna denominado escoliose", explica Sola. "Na verdade, o desvio já existia antes da cirurgia plástica. O que aconteceu é que se tornou mais evidente com o aumento ou diminuição nas dimensões dos seios. Mesmo assim, pode ser tratado com sessões de RPG".
De acordo com Luiz Fernando Sola, o ideal é que se faça um check-up postural logo após o período denominado pós-cirúrgico e que inicie um trabalho preventivo e corretivo, que envolva normalizações de todos os músculos, vísceras, fáscias e da postura como um todo. "Em média, dez sessões são suficientes para evitar problemas futuros", conta. Dessas sessões, metade é destinada ao autoconhecimento postural e a outra metade a trabalhar a parte estrutural, corretiva e treinamentos de sustentação postural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário